terça-feira, 15 de setembro de 2009

Olho o mapa da cidade
Como quem examinasse
A anatomia de um corpo...
(É nem que fosse o meu corpo!)

Sinto uma dor infinita
Das ruas de Porto Alegre
Onde jamais passarei...

2 comentários:

Maurício Levy disse...

há tanta nuance de paredes, há tanta moça bonita...

ah, isso me lembra primavera na Rua dos Andradas...que me lembra Feira do Livro.

Felipe disse...

vi um comentário seu num texto sobre arrepio eu achava q era o unico q controlava rsrs ....vim soh fazer esse comentario idiota rsrs bj